Navio
 
 

Tua pequenina
 
(e não termina)
 
 
 
noite sem alma:
 
um quase inaudível
 
 
 
rumor de folhas
 
caindo, a
 
 
 
intervalos, na
 
distância entre
 
 
 
o quintal, a rua
 
e ninguém
 
 
 
que te espera
 
na beira do cais.

 
 

Ricardo Aleixo
 

___________________________________________________________________________________________
 

Ricardo Aleixo (Brasil, 1960): Poeta. Compositor. Cantor. Performador. Ensaísta. Artista visual e sonoro. Curador da ZIP/Zona de Invençâo Poesia & e Coordenador Geral do Festival de Arte Negra de Belo Horizonte/FAN 2013. Co-editor da “Coleção Elixir”, da Tipografia do Zé, junto com Flávio Vignoli. Publicou os livros “Festim” (1992), “A roda do mundo” (1996 e 2004, com Edimilson de Almeida Pereira), “Quem faz o quê? (1999), “Trívio” (2001), “A aranha Ariadne” (2003), “Máquina zero” (2004), “Céu inteiro” (2008), “Modelos vivos” (2010) e “impossível como nunca ter tido um rosto” (2015). Prêmios e outras distinções: “Prêmio Literatura para todos” (categoria Poesia, 2010); “Prêmio Bonsucesso” (categorias Melhor espetáculo e Melhor trilha sonora, para “Quilombos urbanos”, da Cia. SeráQuê?, 2000); “Bolsa para escritores com obras em fase de conclusão” (Fundação Biblioteca Nacional, 2004, com o projeto do livro de ensaios “Palavras a olhos vendo: Escritos sobre escritas”, inédito); “Bolsa Petrobras Cultural”, com o projeto do livro de poemas “Modelos vivos”; inclusão dos livros “Trívio” e “A roda do mundo”, respectivamente, nos vestibulares da UNI-BH, de 2002, e da UFMG, de 2004. Leia mais de Ricardo Aleixo aqui: http://jaguadarte.blogspot.com.br/e aqui.

 
Os livros de Ricardo Aleixo estão disponíveis aqui na livraria Boto-cor-de-rosa.
 

Sobre Textos fora do mapa:
Aqui publicamos poemas, ficções, resenhas e crônicas inéditos de escritores brasileiros e não brasileiros, que muito generosamente escolheram compartilhar aqui. Tudo que você encontrar nesta seção aparece aqui pela primeira vez. Textos fora do mapa, assim como todas as seções deste site, inclui textos em diferentes línguas conhecidos ou em nenhum idioma previamente conhecido.

 

Foto: Ilna Baptista