Auto-ajuda 3

 

o amor que não deu certo
mas continua perto como
fantasma sob o mesmo teto

 

ou todos os paliativos que
amortecem o perigo de estar vivo:
comprimidos, gastos, filhos

 

tudo que simula sentido
dando qualquer engodo ao
meu corpo negro e gordo

 

tudo que escoe essa fome
de dar à vida um sobrenome
é uma pule premiada uma porta

 

nesse “vivo ou morto” o que im-
porta de um jeito ou de outro
é preencher o vazio a socos.

 

JORGE AUGUSTO

____________________________________________________________________________________________________

Jorge Augusto (Salvador, 1982) é poeta e professor. Publicou textos e poemas em revistas e jornais, como SUL21, Germina Literatura, Diversos afins e Cronópios, entre outras. Participou, como poeta de algumas antologias como a Enegrescência, publicada pela editora Ogum´s Toques; e Antilogia – um diálogo entre poetas BA/SP. É editor na Organismo editora.

Crédito da foto: Santiago Fontoura